Continuando a série de posts que fiz sobre a minha viagem à Argentina (saudades!), vou falar de Tigre, uma cidade que fica a 33km da capital Buenos Aires. Foi um passeio de um dia e deu pra aproveitar a feirinha linda que tem por lá, bem como apreciar a bela vista do porto.

Chegar lá é bem fácil e dá pra ir de trem ou de ônibus. Entre as duas opções, fomos orientados pelo nosso anfitrião a ir de trem. Preciso falar que essa viagem foi muito agradável. Apesar das ressalvas de que trem é um transporte mais “inseguro” – a mesma sensação que temos por aqui – foi algo que mesmo depois de anos me deixou marcada na memória.

Olhando pela janela, as paisagens verdinhas corriam rapidamente com o som do maquinário. As cadeiras quase vagas ressaltavam que aquela viagem não era tão turística, era um trajeto mais comum de dia a dia. De repente, um grupo de poucos argentinos começaram a entonar notas e desbravaram a cantar ao som de um violão. Não me recordo da música, mas a cena ficou perfeitamente gravada na minha cabeça. Uma manhã de sol, com um clima muito agradável e quase frio, vendo a paisagem passar ao som de uma música local cantada pelos próprios passageiros. Parecia a cena de um livro.

Queria iniciar essa nova fase do blog com um post bem legal e, por isso, resolvi falar de uma viagem inesquecível para mim: Buenos Aires. Depois de muito sonhar em dar um passinho fora do país, essa foi a minha primeira escolha e primeira oportunidade para sonhar e conseguir realizar.

buenos-aires-europa-boas-dicas(via: reprodução)

Buenos Aires é conhecida como um “pedaço da Europa” na América. Bom, eu nunca estive na Europa (por enquanto), mas posso falar que deve ser parecido. Por onde você anda, tem muitos, inúmeros parques e arquitetura admirável. Me sentia pequenininha no meio de tantas árvores. A cidade é muito bem estruturada, o metrô funciona tranquilamente, os ônibus também, existem muitos pontos comerciais e o valor cultural é bem forte. Ficamos 8 dias e não foi o suficiente para conhecer tudo, porque é uma cidade muito grande. Mas deu para aproveitar bastante!

Se tem uma coisa incrível sobre viajar é conhecer novas culturas. E, quando falo de cultura, me refiro a tudo que ela engloba, inclusive, a gastronomia. A gente sabe que a comida fala muito sobre cada lugar e uma das mais curiosas surpresas que tive ao sair do país foi ver que até aquele mais típico fast food é diferente ao cruzar a fronteira.

Visitei a Argentina há alguns anos atrás. Sobre essa experiência, você pode ler em alguns posts feitos no blog. E, sem dúvidas, uma das coisas que eu amei lá – além das banquinhas de flores em cada esquina – eram os Cafés Havannas. Muito típico, muito fácil de achar e virou um ponto de parada a cada fim de tarde ou dia mais frio. Era bom demais tomar um cafezinho com um alfajor para esquentar depois de uma caminhada pela neblina.

Café Havanna – Buenos Aires

Até que, depois desses anos, chegou à Fortaleza o nosso próprio Café Havanna. Fui logo que inaugurou, mas achei melhor voltar algumas vezes até estabelecer uma opinião para poder comparar os dois momentos: o café com doce de leite argentino de Buenos Aires e o café com doce de leite ali no shopping Iguatemi.

Hello! 🙂 Estou de volta na série “Viagem para Argentina”, que vai dar, agora, um pulinho até o Uruguai. Se você não viu a primeira parte, é só acessar o Viagem para Buenos Aires e Argentina – Parte #01.

Colonia-del-Sacramento-Blog-Boas-Dicas

Quem vai à Buenos Aires, tem a possibilidade de dar um pulinho no Uruguai sem ser de avião. A algumas horas fica a Colonia del Sacramento, uma cidadezinha pequena e histórica, que foi reconhecida pela Unesco como Patrimônio da Humanidade. Você pode chegar por lá de avião, mas o passeio de barco em si também é muito legal.

#Dica: se você está com viagem marcada para Buenos Aires e pretende fazer o passeio de barco, garanta logo os seus tickets porque eles esgotam rápido.

Colonia-del-Sacramento-Blog-Boas-Dicas-02

Colonia del Sacramento foi fundada em 1680 e possui em torno de 26 mil habitantes. Tem muitas construções antigas, lindas, que realmente fazem ela ser merecedora do título. É um lugar bem pacato, com ruas todas em pedrinhas e uma arquitetura bem particular. Você se sente naqueles filmes antigos a cada lamparina acesa.

Nesses poucos dias que estive de férias, consegui fazer uma mini viagem para Flecheiras, praia do Litoral Oeste do Ceará. São 128km de Fortaleza e é uma praia ótima, porque as ondas não são lá tão fortes, e a maré forma “piscinas” nas quais você pode banhar sem se preocupar (tanto) com as ondas.

Flecheiras-Blog-Boas-Dicas-10

Eu fui muitas vezes quando era mais nova, mas hoje em dia virou um pólo de lazer mesmo. A noite é bem movimentada, com várias opções para quem gosta de se aventurar nas comidinhas. A própria pracinha tem bastante movimento e algumas barraquinhas para quem quer um lanche mais rápido.

Flecheiras-Blog-Boas-Dicas-01Clique para aumentar

Passeios – praias

Durante o dia, existem várias opções para se divertir! Flecheiras, como toda praia, fica perto de outras praias, e todas elas são bem turísticas. Você pode conhecer uma parte desse litoral com o passeio de buggy (custa R$200,00 e dura em torno de 2h a 3h, dependendo do tempo que você aproveita cada local). O trecho sai de Flecheiras, passa por Guajiru e segue para Lagoinha. No meio do caminho, você conhece a Lagoa das Almécegas – o único local de água doce pela região. E, vá por mim, não escolha parar lá se for num feriado movimentado. Fui no 7 de Setembro, e a lotação estava impossível. Mas tem uma dica: se você pedir para o bugueiro ir pela parte de cima da duna, vai chegar uma região com bem menos pessoas. Desça a duna e aproveite com cuidado (porque sai da margem rasa pra funda bem rápido).

Flecheiras-Blog-Boas-Dicas-06